Tumores femininos:

O que devemos saber sobre isso?




Mesmo com as melhorias no tratamento e da alta

chance de cura com o diagnóstico precoce, toda

mulher gostaria de saber o que fazer para reduzir

o risco de ter um câncer de mama. Cerca de 85% dos casos

acontecem em mulheres sem nenhum antecedente familiar

de câncer, sendo que uma em cada oito mulheres nascidas

hoje irão desenvolver esta doença. Sabendo que a minoria

dos tumores é do tipo “hereditário”, mais do que nunca é

importante saber o que pode, de fato, ser feito a fim de

prevenir a doença.


Além da mamografia, principal ferramenta para o rastreamento

e diagnóstico precoce, nas últimas décadas estudos

avaliaram a associação entre atividade física e o risco de

desenvolvimento de câncer de mama, sendo os resultados

animadores e surpreendentes. A prática de atividade física

mostrou-se associada ao menor risco de desenvolver

diferentes tipos de câncer, incluindo redução na incidência de

câncer de mama e do endométrio em torno de 20%.

Outra atitude que já demonstrou grande impacto na redução

da incidência da doença é a alimentação saudável – rica em

verduras e legumes – e pobre em gorduras e carboidratos,

pois ajuda a manter o peso e reduz drasticamente o risco de

ter essas doenças.


Outro tumor feminino frequente é de ovário. Embora

menos incidente que o de mama, infelizmente, os exames

de rastreamento não são adequadamente eficazes para

o diagnóstico precoce deste tipo de tumor e a maioria dos

casos é descoberto em fase avançada. A boa notícia é que

estudos com novas classes de medicamentos para a doença

estão sendo realizados com resultados promissores.


O terceiro tipo de câncer mais prevalente na população

feminina é o de colo uterino, que atinge 16 mil novas

mulheres no Brasil por ano. O principal causador é o

vírus HPV, sexualmente transmissível. A prevenção é um

dos principais aliados em seu combate e consiste na

vacinação, no uso de preservativos e na realização de

exames periódicos no ginecologista.

Muito tem sido feito para melhorar a chance de cura dos

tumores femininos, e os avanços têm crescido rápido

trazendo grandes benefícios, gerando esperança e alegria.

No entanto, a prevenção é sem dúvidas o nosso melhor e

mais certeiro caminho.


Vivian Castro Antunes de Vasconcelos é oncologista do

Grupo SOnHe – Sasse Oncologia e Hematologia e do

Caism/Unicamp.

© 2018 por Agência Blue Com. & Mkt. www.agenciabluecom.com