Tosar ou não?



Ao contrário do que se pensa, tosar o pelo do cão no verão pode ser prejudicial

Durante o verão, todo mundo procura alguma forma de se refrescar e se proteger dos raios solares. Mas, diferente dos seres humanos, os cachorros não conseguem se refrescar através do suor. Eles têm poucas glândulas sudoríparas, que ficam restritas às regiões das patas e do focinho. Para eles, a forma mais eficiente de perder calor é pela respiração, o que pode ser difícil caso o ambiente esteja muito abafado ou o cão seja muito agitado.

Mesmo que ele tenha pelos compridos, o ideal é não tosar seu cachorro, porque o mecanismo de compensação térmica dos cães é completamente diferente do nosso. Quando está quente, nossa pele transpira, e assim, o suor liberado sobre a pele evapora, roubando calor do corpo e abaixando a nossa temperatura. Com os cães funciona de outro jeito, já que eles não transpiram pela pele, a regulação da temperatura do corpo do cachorro é feita através da boca. Quando eles ficam ofegantes, quer dizer que estão expulsando o ar quente do corpo e diminuindo assim a sua temperatura interna.

Embora muitas pessoas não saibam, o pelo protege o cão do frio e do calor, atuando como um isolante térmico. Por isso, não tose seu cachorro, isso pode atrapalhar mais que ajudar.

É perfeitamente compreensível que alguns donos de cachorros, em meio ao calor, pensem que seus cães estejam sofrendo por causa de excesso de pelos, e procurem descobrir qual a melhor tosa no calor. Mas, quando compreendemos a fisiologia da dissipação do calor nos cães, concluímos que tosar não ajuda e sim, pode acabar piorando o problema.

FONTE: blog.zeedog

© 2018 por Agência Blue Com. & Mkt. www.agenciabluecom.com